quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

No divã #2


Quem nunca foi ao consultório de um psicólogo e se submeteu a, hum..digamos, tratamento pode até ter algum tipo de preconceito (eu já tive muito), mas a verdade é que é algo do tipo ame ou deixe-o.
Se abrir à alguém que está ali durante 50 minutos (remunerados) para ouvir o que você tem de mais inquietante (ou não) pode ser um exercício mais árduo do que levantar 30 kilos no supino.
Você nunca viu a pessoa e de repente ela é capaz de ver (ou ouvir) coisas que ninguem vê ou que pelo menos você não gostaria que vissem.
Mas no fundo, embora seja um pouco assustador (para os mais timidos) a terapia  deveria ser algo obrigatório. Deveria ser como ir ao ginecologista, ao dentista, à academia. Você não vai à nenhum deles?? Ok, deveria ser como ir à manicure...uma vez por semana você está lá.
Minha primeira experiencia com um profissional da área não foi tão legal. Embora ela tenha me dado um direcional e me ajudado  (muito muito) a tomar uma decisão importante (não que ela tenha dito o que fazer...eles nunca dizem, a gente "descobre"), nas ultimas sessões em que eu fui ela bocejava e comecei a achar a minha vida e meus problemas entediantes demais...ia precisar de um outro psicologo pra me curar da psicologa enfadada, pensei. Então tchau Dra. Soneca...até outra crise de Freud!
Como minha mente muitas vezes parece uma grande armário desarrumado, com peças de inverno e verão totalmente misturadas, não demorou muito até que eu tivesse que procurar um outro profissional...e tem sido ótimo. Tem sido otimo procurar a ponta do novelo embaraçado e a sensação de leveza que eu tenho é muito parecida com a que eu tive quando consegui entrar numa calça 40.
Tem dias que eu saio do consultório como se tivesse, num dia de calor escaldante, dado um mergulho na cachoeira, deixando a água cair na cabeça...em outros parece que estou no meio de um palheiro procurando a agulha de 5 cm...mas em todos os dias, após 50 minutos de uma das conversas mais agradáveis que tenho durante a semana, saio de lá tranquila, me entendendo, me orgulhando do meu "eu", ainda que esse "eu" seja mais louco do que eu mesma possa imaginar (toca a música do Biafra: louco é quem me diz, que não é feliz...eu sou feliz!")
Fazer análise não significa ser fraco, ou ter problemas psicológicos...significa buscar se conhecer e usar o auto conhecimento a seu favor.
Se eu continuasse na roda viva da superficialidade, no cotidiano sem sentido, mecanico e automático, em que vivemos hoje, talvez tivesse continuado numa vida onde a felicidade seria uma busca utópica, uma realidade fictícia, um comercial de margarina...eu continuaria sendo protagonista de um reality show tal qual Truman em O Show da Vida.
Mas quando resolvi mergulhar no profundo mar da alma, do psiquê, do inconsciente, do meu "eu" ou seja lá como os profissionais da psicologia chamem o objeto de seu estudo, fui aos poucos quebrando a casca (grossa) do ovo que me aprisionava. fui desenhando meu novo contorno, explorando minhas falhas, fraquezas e fortalezas..fui abrindo os olhos, enxergando...acostumar à claridade não foi - nem tem sido - fácil. Mas por mais dificuldades, angustias, surpresas sempre se é mais feliz quando a gente se conhece, se aceita, se perdoa, se gosta, se namora.
Parece post de auto ajuda, mas não é não. É só um testemunho pra dizer que descobri um novo método estético que vai te deixar mais bonita e fazer você arrasar de verdade quando usar aquela cor de esmalte, aquela make importada, o primer, as clogs, open boots, scarpins, a moda do SPFW. Isso tudo fará mais efeito quando você puder ficar calada e ouvir o que o seu silencio lhe diz, se conhecer - e se orgulhar - do que tem por dentro. Vamos para o divã?! Senta aqui.

Imagem

8 comentários:

Karine disse...

Isso! Acho que todo mundo deveria ir a um psicológo. Todos nós temos tormentos, medos... todos nós temos alguma coisa que nos faz tropeçar na vida. E esses profissionais existem para isso, para ajudar-nos, fazendo-nos enxergar a melhor saída. Eu gostaria muito de ir a um. Uma pena que é a última coisa que meu dinheiro me permite fazer.

Desejo que você encontra a sua porta de saída, Carol. E que, após passar por ela, encontre o seu verdadeiro caminho da felicidade.

Alice Voll disse...

Nossa amiga, ler esse post escrito por alguém que não é dessa área é muito gratificante, porque é como vc disse aí deveria ser obrigatório as pessoas não entendem como isso é necessário tem maior preconceito do mundo!
Fico feliz que vc esteja se encontrando e fez o certo, se não gosta tem que mudar mesmo, psicologo é o que não falta nesse Brasil!
E em relação ao preconceito eu costumo dizer: "ninguém gosta de psicólogo até precisar de um".

Micha Descontrolada disse...

amei o post.
eu sempre tive vontade de fazer análise. e quero mto conseguir fazer no ano q vem, em janeiro, nas férias, quero providenciar o começo disso.
acho q todo mundo precisa mesmo.
e q bom q está te fazendo bem.

/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................

Marcela Thiemi disse...

Carol...
SUPER saudades! Vc sumiu total depois daqueles episódios, aí fiquei só lendo essas suas últimas postagens...
fiquei até com vontade de te mandar um e-mail pra perguntar como vc tá, acredita? Mas fiquei morrendo de vergonha, acho que às vezes não tem nada a ver a gente se meter nesses assuntos.
Vou entrar de férias da faculdade esses dias, que tal semana que vem a gente encontrar, fazer alguma coisa?

Beijo!

subindonosalto.com disse...

Nossa Carol, eu adorei o seu post. Eu nunca vivi a experiência, mas posso confessar? Depois do seu post deu vontade. Talvez seja uma forma de me conhecer melhor, me entender melhor, sei lá.

Tu sumiu hein :S
Tava sentindo sua falta, mulheeeer :D

:*

@viihrs
@SubindoNoSalto
http://subindonosalto.com

Lu Barreto disse...

Obrigada pelo comentário lá no blog. Pois é, meu sobrinho é igual aos seus, ama o peixonauta.
Bom fim de semana, beijos.

Cih_colorex disse...

Faço das minhas amizades um grande divã. Cada um cuida de mim de um jeito e me deixa livre pra expressar quem eu sou mas, acho válida qualquer tipo de AJUDA! Que bom q anda se encontrando! Continue assim. Super mega gostoso de ler seu post! :D Kiss

Priih disse...

Fico feliz que você esteja melhor Carol! (já se sentindo íntima, rs)
Eu tenho minhas apostas de que, um psicólogo deva fazer sim diferença nas nossas vidas quando passamos por essas frustrações que apenas nós conhecemos.
Embora esse ano eu tenha precisado, e admito com vergonha de que, acabei "fugindo" de ir procurar um, morri de vontade. Me arrependi depois de não ter ido. Mas é algo que ainda está nos meus planos.
Certas vezes você só precisa que alguém o escute, seja lá quem for. Pare e dê a devida atenção para você.
Continue com esse ânimo e essa força sempre, tô gostando de ver! =)

Um beijo =*