segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Post antigo: Colecionando arranhões



Eu guardo embalagem fofinha de produto.
Guardo cartas, bilhetes, cartões, papeis de bala, postais.
Guardo mapas, bilhetes de passagem, tickets de museus, ingressos de shows, folders de espetáculos.
Eu guardo caixas vazias de presentes, papeis de seda amassados, sacolas de lojas phynas, fitas de embalagens.
E eu também guardo algumas mágoas, alguns arranhões, algumas palavras rudes que me feriram os ouvidos e o coração.
Sim, eu já tentei ser perfeitinha e não ter rancor no coração, mas não deu certo. Embora isso não influencie meu humor, muitas vezes me faz sentir dor.
Minha mãe sempre disse que ingratidão tira afeição.
Ultimamente tenho vivido isso na prática.
De tanto ouvir palavras que me ferem, ando perdendo o afeto por alguem que já foi mais especial do que é hoje. E se fossem só palavras...tem atitudes também.
Sanit Exupery falou em cativar..E acho que cativar é exercicio diário, mas não anda rolando..não por aqui, não em relação a esse alguém que cativa na quinta, e no domingo joga uma pá de cal. Não anda rolando da minha parte também que tenho falado mais nãos sinceros do que sims, que tenho ficado mais sozinha por opção do que acompanhada. A companhia já não me é tão prazerosa e feliz, talvez porque eu não confie mais na sinceridade do prazer dele. Tenho, ainda que involuntariamente, me lembrado de datas infelizes do passado...e ando vivendo o inferno astral, porque faz 1 ano e qualquer deslize agora ganha um contorno maior..me cansa, me doi.
Eu sei que tenho muito a crescer, a aprender, a amadurecer. Tenho que parar de ficar lembrando de coisas que me magoaram. Eu sei que ainda me magoa porque eu gostaria que fosse diferente...que ao menos a pessoa se enxergasse, que se olhasse por fora e se desculpasse ao invés de eu ter que ser sempre compreenssiva.
Mas eu ando cansada. Cansada até para crescer, me mostrar superior, e contar até dez.
Um pouco de empatia do outro lado, não faria mal. Explicar o óbvio me entedia.

____________________________________________________
NOTA: Escrevi esse desabafo em 28 de setembro de 2010, escrevi e arquivei. Exatamente 1 mês depois o cansaço chegou ao ápice e eu me livrei do fardo com alegria. Tenho sim que aprender, não a ser mais tolerante, isso eu já fui demais. Tenho que aprender (e já aprendi) que a prioridade nessa vida sou eu. Ah e eu cresci e minha felicidade que andava sufocada agora voa livre como passarinho. Explicar o óbvio me entedia. ;-)

3 comentários:

Lucimere disse...

Entendi o que vc quis dizer, mas, confesso, não entendi nada(rs); mas acho, também, que era essa a idéia. (se bem que eu sou "nova" por aqui)
Se eu pudesse te dar um conselho, diria: Não colecione nada, deixe sempre espaço para novo entrar.
Boa semana.
bjo

Lu Barreto disse...

Esse seu post de setembro fez me identificar muito com essas palavras.
O bom é ver que você saiu disso tudo por cima e hoje se encontra feliz.
E assim tenho esperança de que também encontre minha felicidade.
Beijão.

Micha Descontrolada disse...

cara, q texto lindo..vc arrasou nessa.
eu aprendi a dizer naõ e a me priorizar. faz bem, mesmo.

/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................