quarta-feira, 30 de março de 2011

Você nunca vai saber mas...

Eu quis esnobar.
Pensei que tinha colocado o coração numa armadura.
Expressei meu lado homem (que não liga no dia seguinte).
Te deixei esperando o final de semana inteiro enquanto fui badalar com as amigas.
Desmarquei o combinado.
Te vi uma vez, te beijei, senti seu cheiro, senti sua mão apertando forte a minha, sorrimos...mas eu não acreditei em nada. Jurei de pé junto pra todos (pra eu mesma) que tinha sido a toa, sem importancia, que não sairia com você uma segunda vez.
Escutei o primeiro "te adoro" e fiquei calada com um sorriso cafajeste nos lábios.
Ouvi seus planos de me levar para Buenos Aires só porque você achava que lá era o lugar ideal para me amar...e meu lado cético gargalhou por dentro....
E quando o convite para o segundo encontro veio, eu enrolei. Te deixei assistindo o jogo do Cruzeiro enquanto ria com as amigas e me envaidecia com os olhares masculinos cada vez mais frequentes na minha direção.
Também não quis sair pra dançar com você, eu te avisei que não sabia dançar e quando você disse carinhosamente que me ensinaria eu recusei.
Eu queria viver a liberdade. Curtir todos os abraços possíveis. Sentir um panapanã de borboletas no estomago.
Romance não caberia mais na minha vida, não nesse momento.
Todos os romances planejados para serem vividos se resumiriam aos filmes, de preferencia com uma pitada de comédia sacarstica.
Mas há muito tempo você está ali. Quantos meses mesmo? Meio ano?
Outros passaram na sua frente. Disse "sim" pra quem nem pediu tanto. Deixei de atender o celular várias vezes quando via que era o seu número chamando. Te dispensei. Mas nunca deixei de conversar com você por um unico motivo: você sempre me fez companhia.
Foi pra você que chorei as pitangas num final de semana com o coração despedaçado (por outro)... sem nem me importar com seu tornozelo quebrado, sim, meu coração doia mais.
Foi você quem apareceu on line e ficou conversando comigo até 2h da manhã quando eu estava sozinha num quarto de hotel numa cidade de merda.
Foi você quem disse que não aguentava mais ficar sozinho e que depois de aproveitar bem o Carnaval ia arranjar alguem pra namorar e apesar disso ter sido uma bofetada na minha cara, eu continuei meu joguinho egoista. Mas então o Carnaval acabou e você voltou pra casa, e ainda do aeroporto me ligou, eu arrumando as malas pra mais uma das minhas viagens ouvi de você que seus planos de agarrar todas no Carnaval e a partir daí arranjar uma garota pra chamar de sua tinham sido frustradas porque durnte toda a festa de momo, e antes mesmo de ir pra folia, já não conseguia parar de pensar em mim.
Eu ignorei. Na miha nova fase pós-relacionamento-ruim, você não estava nos planos.
Mas o segundo encontro veio, e e substimei você...fui toda jogada, jeans surrado, camisete, sapatilha...sem glamour, com rimel e batom e só, com cabelo desarrumado  e cara de cansada sem a minima preocupação de te impressionar, e fiquei lá olhando você comer daquele jeito que, se eu pudesse, eu mesma me dava um soco e me sacudia por ser tão distante.
Mas o mundo dá voltas e nos põe em armadilhas.
Você estava tão perfeito e, apesar da pouca altura, estava tão bonito que esbofeteou esse futil coração. Quem não prestou atenção no filme dessa vez fui eu.
Me deitei no seu ombro, só pra poder sentir melhor seu perfume. Senti sua mão repousar na minha perna, e respirei fundo. O coração num tumtumtum sem fim.
Me despedi de você sem vontade nenhuma de ir embora.
E ai hoje acordei estranha...
Pensando mais do que devia em você. Querendo, mais do que o esperado, segurar a sua mão. Com medo de, pelo meu desleixo no segundo encontro, você nunca mais querer me ver o que demonstra, claramente, que meu ar superior e desligado foi, fortemente, alvejado. E agora? Orgulho futil, comportamento infantil...vou pagar o preço caro se o meu celular nunca mais tocar com o seu numero no visor chamando...
Paixonite dos inferno...a qualquer distancia você me alcança.

6 comentários:

Karine disse...

O que um relacionamento ruim não faz, né mesmo? Tá você aí toda descrente do amor, negando-se a abrir o coração, fechando-se pra si mesma e deixando aflorar seu lado mais distante...
Como é essa vida... apaixonar é tão bom... acho que nunca quererei deixar de viver isso!!!
Fico feliz por, mais uma vez, seu coração acelerar quando o celular toca com o número DELE no visor!!!
Sorte, Carol!!!

Lulu on the Sky® disse...

Boa sorte nesse amor Carol!
Big Beijos

Micha Descontrolada disse...

minha carol querida, não jogue esse homem fora...
não custa tentar..
e ó, dor de amor não mata...quae mata, mas não chega ao finalmentes...dá a volta por cima, veste uma coragem e vai a luta...


não perde esse, não.

beijosssssss

subindonosalto.com disse...

Carol, que lindo. Incrível como você consegue se expressar perfeitamente por palavras. Deixo meus super votos de felicidades e MUITO AMOR pra você!

;*

@viihrs
@SubindoNoSalto
subindonosalto.com

Lucimere disse...

e vc não vai ligar, não?
vai continuar esnobando, teimosa.
bjoss

Carol disse...

Oie tudo bem miga?
Qto tempo agente não se fala né mesmo?
Bom assim miga eu acho que as oportunidades nunca devem ser desperdiçadas, pense com carinho e assim confie sempre em Deus, se Ele coloca as pessoas no nosso caminho é pq algum propósito elas tem em nossa vida, mesmo que talvez elas nos machuquem mas agente acaba percebendo algo que nos fez aprender sobre aquela relação que tínhamos com elas, pense nisso =).
Bjs!!