quarta-feira, 29 de junho de 2011

Profissão: Tia.

Se alguém me perguntasse qual minha maior habilidade, responderia sem titubear: Ser Tia (sim, assim com "t" maiúsuculo, com tesão).
Claro que sei fazer outras coisas: asso o melhor bolo de chocolate do mundo, me alegro com as alegrias do próximo, sei ouvir, trago a pessoa amada em 3 dias,  sou solidária, toco flauta enquanto assobio...mas ser tia é a habilidade que se destaca.

Faço parar de chorar com um colo e um assoprinho leve na testa; troco fralda com o carro em movimento; sei fazer uma viagem de 12 horas passar rapidinho contando quantos caminhões vermelhos passam por nós;  faço a voz de todos os personagens do Toy Story; vou à escola; invento penteados; brinco de carrinho (fazendo pontes e vozes dos carros também); compro o maior sorvete que tiver; acompanho no pula-pula (ou no barco vinking, ou no balanço, ou na piscina de bolinhas); ajudo nos trabalhos escolares; fotografo todas as apresentações (seja de balé seja de judô); mergulho no mar (mesmo com frio) para resgatar um par de Havaianas tamanho 28 levado pelas ondas; invento corridas malucas para ver quem chega primeiro na mesa para o almoço; brinco de salão de beleza com direito a maquiagem e a esmalte de verdadea!; amacio sapatos,;carrego "macaquinho"; entendo todas as palavras ditas no meio de um chôrôrô manhoso e compulsivo; e com um pó mágico invisivel que carrego no bolso faço qualquer dodói parar de doer.

Me tornei tia em uma idade que muita gente se torna mãe. Com uma cunhada médica plantonista, e um irmão super-pai-executivo-e-viajante faço parte da vida dos pequeninos intensamente. E não sei se teria sido melhor se tivesse tido os meus proprios pequeninos antes de conhecer essa duplinha.

A primeira fofura nasceu num janeiro complicado: ela começou a vida linda na mesma semana que minha mãe começava a radioterapia. O tratamento virou baboterapia porque era impossível não babar e se derretar por aquela fofura que parecia um repolho de tão redondo e cute-cute. Sem medo de ser clichê digo, ela foi - e é - uma benção em nossas vidas. Primeira, neta, primeira filha, primeira sobrinha, já saiu da maternidade com coroa de princesa que reina absoluta nos corações dos babões. E, toda a tensão daquela época passou com leveza. Thaks God.

1 ano e 4 meses depois veio o homem da minha vida(ou pelo menos um dos), um homem que hoje me faz de gato e sapato (isso é coisa de homem mesmo ne?!), se pendura no meu pescoço enquanto recorto detalhe das ovelhinhas para o trabalho escolar da irmã, e me disse o "eu te amo" mais sincero que já ouvi.
Com 4 anos de idade e uma paixão arrebatadora por carros, ele é meu xodó, dança metal, canta "vou não, posso não, minha mulher não deixa não",  faz cara de esticado, sabe todos os diálogos dos desenhos da Disney/Pixar, é gremista e cruzeirense assumido e declarado, e no inverno usa toca de tricô e agasalhos do Ronaldo Fraga.
Ela, com 5, vai para a escola de maria-chiquinha e colar de coração da Barbie, tem uma coleção de bolsas maior que a minha, e já implicou com o Jackie nas minhas unhas sugerindo que eu pintasse com alguma cor mais "bonita" tipo, o Magenta (da Impala); customizou a saia de balé colocando uma flor de tecido que eu tinha por aqui e, como tem os cabelos curtinhos, já foi várias vezes para a escola com uma faixa amarrada na cabeça para sentir as pontas do tecido como se fossem o "rabo" do cabelo.

Ela é louca por peixe, ele um queijólatra e nessas pequenas coisas eu vejo minha herança genética sendo deixada para as gerações futuras =)

Somos, os três, apaixonados, por sorvete do MacDonalds, dia de sol na praia, cinema e presentes. Mais que tia-sobrinhos, somos amigos, do tipo que deitados na cama trocamos confidencias, dicas e opiniões, tudo no limite que a idade deles permite, claro. =)

Outro dia, disseram-me que já sabiam a minha idade e foram categóricos ao afirmá-la: 7 anos. É a minha idade! Ah, e também pediram para minha mãe me deixar dormir na casa deles um dia depois da escola. Fonte da juventude, é isso que eles são.

Com eles aprendi que dance music é música de jovem e música romantica é pra quando a gente está triste; que o meu último namorado tinha defeito porque era um sapo que não virou príncipe; que o que faz a gente crescer não é fermento mas sim as verduras; que nos desenhos os eclipses são solares, aprendi que pastel de belém é uma delícia, também me ensinaram a mexer na infinidade de controles do home theatre e a travar o cinto de segurança das cadeirinhas no carro, mas, o melhor, aprendi que ser irmão é ser amigo, e ser amigo é compartilhar: choro, bala, presente de Natal..Com eles conheci toda a programação do Discovery Kids, sei o que está in nas baladinhas infantis, andei de avião no parquinho e compartilhei muitos saltos no pula-pula. Comigo eles aprendem a nadar, a escovar os dentes, a fazer "ponte", a fotografar, a serem auto-confiantes, e algumas poses de Yoga (huahuahuahua)
Com 5 anos de convivencia (ok, com ele são 4 ainda) a gente tem hístória para dezenas de post: desde nosso primeiro mergulho no mar, até nossas cavalagadas, passando pelo bolo que a gente fez juntos e pela cambalhota no escorregador inflável da praia.

e , apelidinhos harmonicos para essa duplinha que me colocou para "titia" mas que me inspiram muito a ser mamãe, porque, me fala, quem é que não quer uns primos desses, amigos e descolados, para seus filhotes?!

Se pudesse escrever no meu curriculo colocaria lá no espaço habilidades: ser tia.

Trocar fralda, aquecer mamadeira, conhecer o nome de todos os personagens infantis e ver Charlie e Lola dezenas de centenas de vezes é fichinha pra gente que já tomou café da manhã dentro do carro só para não interromper um epsodio de Tim Tim que estava passando no DVD.

Toda brincadeira não devia ter hora pra acabar

6 comentários:

Karine disse...

Meeeo Deeeos1!!! Mas, essa tia é uma linda mesmo!! E tem sobrinhos lindos, com umas caras de pimenta malagueta!!!

O sorriso da pequena é uma coisa linda!!!

Beijos, tia babona!

Dani Antunes disse...

Eu nasci pra ser tia, cara. Juro. Não tem título melhor, na minha opinião. Eu tenho 4 sobrinhos: 1 de sangue e três de coração. E são a minha paixão.

Bom... Acho que vou dar a minha visão a respeito. :)

Aparece lá depois pra ver.

Bjs

Morena disse...

Que post inspirador. Meu sobrinho tem um mês e já somos (afinal são três irmãs) todas tias babonas!!! E espero mtooo poder daqui a alguns anos ter passado por todas estas aventuras!!!
Beijos saltitantes
Boa semana

Lulu on the Sky® disse...

Ainda não sou tia de sangue, mas tenho vários sobrinhos de coração. :)
Big Beijos

Cih_colorex disse...

São todos esses detalhes que fazem diferença em nossas vidas!
Amei seus sobrinhos sem ao menos vê-los ao vivo!
Titia linda! ;D hahaha
Kiss e seja sempre assim, feliz e criança como eles.

Micha Descontrolada disse...

q lindo. e como tia babona q sou, terminei de ler o post com lágrimas nos olhos. coisa mais esses dois. q foto fofa.
ser tia é a melhor coisa da vida, com toda certeza.
ser mãe, acredito, q deve ser a 2a. hahahaha


/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................