sábado, 5 de fevereiro de 2011

Em stand by


O Blogger está de complô contra mim e não estou conseguindo postar!! Fazer upload de imagem então é impossível, assim, peço desculpas pela falta de post e principalmente por esse post de hoje ser sem imagem alguma.
Alguem está com esse probleminha por ai?

Tenho um amigo querido que insiste para que eu dê uma nova chance ao amor. Árdua tarefa a dele em me convencer de que vale a pena sair da minha zona de conforto seguro para por a cara novamente a tapa. Embora eu saiba que na vida não há garantias e que a lei da transitoriedade é que rege todo o universo que nos envolve, eu prefiro me manter quieta por aqui e fugir velozmente de qualquer ameaça de aproximação a mais com o sexo oposto.

A verdade é que eu não quero mais um amor qualquer...um amor raso, egoista, pobre, unilateral. Quero alguem com quem eu possa brincar de descobrir desenho em nuvens, a quem possa contar meus pesadelos e minhas coisas fúteis, uma pessoa que eu possa arrancar a roupa, fazer o que eu quiser, perder o juízo*, ligar às 3 da manhã e ficar tranquila, tranquila. Quero um amor maior que eu. Mas não agora, não com tanta pressa, não sem que eu tenha curtido a doce liberdade da solteirice, não sem que eu tenha desfrutado da conveniencia do coração vazio. Não amor, ainda não. É preciso que eu durma o numero suficiente de noites para compensar todas as que eu passei em claro, é preciso que eu me cure da gastrite, que eu sorria mais porque fazia tempo que eu não dava tanta gargalhada, que eu dance até sentir os joelhos formigarem. Quero ainda curtir meu magnetismo pessoal, atrair olhares, dar sorrisinhos de esguelha, abraçar vários corpos sarados e desejosos, quero curtir um sábado só meu, ver todos os filmes que me der na teia, viajar e sair sem ter que falar nada pra ninguem.

Quando ele vier, o amor, que venha para compartilhar tudo o que eu conquistei nessa fase feliz do reencontro comigo mesmo, que venha para somar, que traga uma porção de sorrisos na bagagem, muito tesão no corpo, muito bate papo para tardes de sábado a toa jogados em qualquer lugar, uma boa dose de cultura, seja vazio de vicios e radicalismo, seja despido de narcisismo. Seja leve, feliz, bem resolvido.

Mas, por enquanto, deixa o amor lá, vivendo suas experiencias , seus causos, construindo sua história para me contar quando a gente finalmente se encontrar. E eu, por aqui, marcando encontro com a unica pessoa que me interessa: eu mesma.

Quanto ao meu amigo, que me olha intrigante e me sorri de esguelha, misterioso, ansioso pelo fim do meu "celibato", que compartilha comigo os mesmos gostos por esportes, filmes, livros e viagens, que repara na marquinha do biquini e perde o olhar em mim enquanto eu falo sem parar, que se irrita com charme com as bobagens que eu falo e ralha comigo, que se diverte com minhas histórias cinematográficas, que aprende e muito me ensina, quanto a essa pessoa tão especial só posso dizer que ele é a prova viva de que a vida - arte do encontro em meio a tantos desencontros - sempre tem surpresas agradáveis reservadas e que tudo se torna muito mais alegre quando se tem pessoas especiais, felizes e bem resolvidas nos acompanhando nessa grande jornada.

*os mais atentos devem ter notado a adaptação da música do JQuest no iniciozinho do 2o parágrafo. Fica aqui registrado os créditos :-)

6 comentários:

Karine disse...

Carol, Carolzinha... seu texto é lindo! E acho muito bom o que você pensa sobre estar com você mesma. Parabéns!
No momento, estou numa fase de luto, meio tristonha. Mas, estou (re)descobrindo-me de novo, pouco a pouco. Começando a fazer as coisas que eu quero, juntando meu dinheiro, planejando a viagem que eu sempre quis (ir a Lisboa é uma)... enfim... o único mais chato de tudo é que gostaria de estar sofrendo no BRASIL, ao lado dos que eu amo, e näo sozinha aqui.
Beijos e bom domingo!

Lucimere disse...

Achei tudo muito lindo, muito inspirado, vc escreve muito bem e eu gosto daqui; Mas sei, que vc sabe que o amor é sorrateiro e mal educado, ou seja, não pede licença; Taí algo que não dá para se planejar. E esse seu amigo já tem um amor?

ah! obrigada pelo comentário. conforta. é bom.

bjosssss

Micha Descontrolada disse...

q lindo...e ó, qdo menos esperar vai encontrar alguém pra cotar seus pesadel os e até as coisas fúteis...

eu encontrei qdo não quis mais procurar o meu amor, e o qto levou, foi pra eu merecer....*

*vc já sabe, mas eu usei os los hermanos para expressar como foi comigo.

Uma ótima semana para você!!!

/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................

Alice Voll disse...

participação especial do JQ, saygsya!
mas gente sás coisas não vem com hora marcada, né? é só quando tem que ser mesmo!
eu ando numa fase de descrença total, se me pedissem pra escolher entre dinheiro e amor, certeza eu seria ryca!

subindonosalto.com disse...

Seus posts são tão inspiradores ... e parecem que chegam em mim nas horas certas. Há pouco tive uns problemas com meu ex, fiquei super mal e agora estou pensando exatamente em tudo que você disse ... acho que é a hora de curtir de verdade a solteirice, de sair por aí sem ter que dar satisfações, de ter um tempo pra mim e para as minhas futilidades ... e comecei isso ontem. Larguei tudo que estava fazendo e fui passar a tarde no shopping, sozinha. Tomei um café na Saraiva, comprei livros, roupas e sapatos, fui ao cinema (sim, eu vou ao cinema sozinha!) assistir Black Swan, que por sinal é perfeito ... e enfim, tirei o dia pra mim e foi simplesmente maravilhoso. Fiz até um novo amigo, consequencia de uma ida desacompanhada ao cinema. UAHUAHUAHAUHUAHUAHUA :B

Beijo, Carol.

;*

@viihrs
@SubindoNoSalto
http://subindonosalto.com

Sarinha disse...

Olha!!
Eu posso dizer que seu post pareceu escrito por mim!

Em partes
Eu ainda estou na parte das noites em claro
mas espero como vc chegar na parte de querer curtir vc mesmo !

Bjs
Voltarei
Ainda mais agora com as dicas de filme!!! ja anotei os 3!!

Bjs