quinta-feira, 21 de abril de 2011

Vamos falar daquilo?


Cena 1
Outro dia peguei um taxi. Chovia. Carro com ar condicionado, cheirinho de limpeza no ar, uma musica romantica orquestrada tocando.Um ambiente gostoso onde eu pude relaxar e fazer o percurso em meio ao transito caotico até a Pós.
Conversa de motorista de taxi é um clássico mas os causos que o senhorzinho de 63 anos que conduzia o taxi me contou deixaram-me boquiaberta.
Enfim, o tema da conversa era um só: sexo!
Ele me contou sobre a namorada, as preferencias, as rotinas, como era com a esposa, como era com a namorada e enfim...Não sei de onde ele tirou tanta intimidade...Vez ou outra, quando via que pegava mais pesado, se virava pra tras e me pedia desculpas meio que surpreso com sua compulsão em falar de um assunto tão, digamos, picante.
Sinceramente, sexo não é tabu pra mim. Eu falo disso na boa, mas vamos combinar que não é bem um assunto tão normal pra ficar se conversando com um senhor de 63 anos que esta dirigindo o taxi que você acabou de entrar.
No dia eu achei bem estranho, e contando pra minha amiga as coisas que eu ouvi, rimos muito da loucura que foi. Sim, porque o senhorzinho não conversou comigo sobre sexo, o velhinho me contou os detalhes sordidos da vida sexual dele. Pensa o que é isso?!
Então...Pausa nessa historinha.

Cena 2
Tenho um amigo super querido (já falei dele aqui)  que simplesmente ama falar de sexo comigo e não é aquela coisa vulgar não. É algo natural, como conversar sobre a conjuntura econômica do país, e, como eu disse, não tenho problema nenhum com esse assunto. Acho que ele foi a primeira pessoa com que eu falei tão abertamente sobre aquilo, foi com ele que me soltei, que aprendi a ouvir um homem falando de sexo na boa, sem piadinhas picantes e vulgares, mas com cumplicidade e, sem estar na cama, nu, suado, com tesão, mas sim numa tarde, tomando chá mate com limão e deixando o vento assoprar nossos cabelos e, claro, ele de vez em quando com aquele sorrisinho malicioso que faz o lábio tremer...ah se não fosse amigo.

Cena 3
E falando em amigo, lembrei de outro. Outro amigo. Aliás, teho que falar dele aqui...mas enfim,o tema é outro. Então, esse outro amigo já foi categorico em dizer que ama falar do assunto comigo. Claro que ele é diferente do amigo que falei ali em cima. Mas acho curioso porque alem do assunto render e a gente ficar cada dia mais intimo, o assunto passa muito longe da vulgaridade, é capaz de mandar o cansaço embora. É como conversar mesmo sobre um filme bom, uma comida preferida, um livro que prende a atenção. E numa dessas conversas foi que ele me fez a declaração reveladora: eu dou tesão! PQP, como assim? Sem nem abrir a boca?! Sim, sem sequer abrir a boca...assim como pessoas motivam você a ser positivo, ou te dão coragem de pular de paraquedas eu dou tesão...Sendo normal assim como você cara leitora que lê esse humilde blog...

Cena 4
Pego o táxi. Sem musica orquestrada. Sem ar condicionado. A noite está um pouco fria. É vespera de feriado e o transito está com aquela agitação caracteristica de quem está deixando a cidade. Como estou indo para casa de uma amiga para ir à uma baladinha com uma turma, levo uma bolsa maior com os cacarecos femininos indispensaveis, o que me dar um ar de viajante de feriado.
O motorista deve ser da minha idade, talvez um pouco mais velho ou um pouco mais novo..diferenças não gritantes. Pelo retrovisor me vê, frenética, mandar SMS pelo celular sem ligar a minima para o que passa em volta. Logo dá um jeito de me deixar sabendo que chegou de Londres há 1 ano onde morou por 6. Daí pro assunto chave foi um pulo. Em poucos minutos estava me contando sobre a diversidade de preferências sexuais dos turcos, franceses, ingleses, portugueses. Eu, pouco interessada, só ouvia enquanto me perguntava: "porque?"
Ai em seguida começou a falar dos brasileiros e afirmou, convictamente, que o cara que descarta a garota que transa no primeiro encontro é um vazio, um otario, e bla-bla-bla e que todas as mulheres - inclusive eu - podia aproveitar bem a noite e se entregar para um cara pelo qual sentiu algo especial porque no dia seguinte ele não vai pensar nada demais e é capaz até de se apaixonar.
Alguem é capaz de imaginar minha cara a essa altura?
Nesse dialogo  me limitei a fazer pequenas interjeições porque, uma pergunta não saia da minha mente:

Eu inspiro sexo????

Olha, eu não tenho problemas com sexo.
Nem com fazer, nem com falar, nem nada disso.
Me considero de certa forma bem tradicional,ou seja, não sou de aventuras e não tenho nada espetacular para contar. Não sou puritana, mas também não sou nenhuma bitch.
Depois que emagreci, e, principalmente, depois que terminei meu relacionamento percebo que, modéstia a parte, fiquei mais atraente. É uma energia natural, simples, sem fazer a periguete...de calça jeans folgada e camiseta eu tenho um ar sedutor porém, grifem, natural!
E tenho percebido que eu atraio esse assunto...já atraia antes (lembrei de um colega de trabalho me contando os problemas de cama dele com a esposa) mas agora isso tá por demais escraxado.
Eu só emito opiniões e comentários a respeito com quem me é muito proximo, com que eu partilho de uma amizade e, principalmente, de uma cumplicidade...mas tô boba de ver que no táxi, no salão e daqui a pouco no ponto de onibus, no mercado, no verdureiro, ao inves de comentarem comigo sobre o BBB estão puxando papo de sexo, e nem é nada baixo e ofensivo não...conversam como se falassem de futebol.
Pra mim isso é tudo muito novo, porque acaba que estou ficando com uma experiencia teorica vasta cuja a fonte não podia ser melhor: o sexo oposto, a massa, eles mesmos - os homens!
E sabem o que percebo? Eles sentem falta de saber o que se passa aqui do outro lado da relação. Estão sim querendo saber o que a gente pensa, gostam de mulheres que gostam de sexo e não tem problema em assumir isso, e, cansado de fazerem a corte, querem isso poder fazer do sexo algo natural assim como tomar sorvete, olhar a lua e todos aqueles clichês que nos fazem suspirar.
E sabe que conclusão eu chego?! Se parassemos com tanto #mimimi e não tratássemos o sexo como um campo misterioso, um jogo cheio de artimanhas, um trunfo, talvez conhecessemos nossos parceiros mais a fundo.
Talvez a gente não precisasse ficar lendo Nova pra saber o que se passa na cabeça deles, e nem perdendo uma parte do tempo especulando com as amigas sobre o que eles vão fazer, e bla bla bla...Se tentassemos estabelecer o dialogo com os proprios, talvez não resolvessemos todos os misterios, mas a probabilidade de estabelecermos elos mais consistentes e claros eram maiores e talvez parariamos de pensar que homens são todos iguais (porque, na boa, não são todos iguais não!)
Não to falando para conversarem sobre sexo no café da manhã com seu colega de trabalho gato, ou tratar o assunto como se fosse um tutorial de maquiagem, nem tampouco sugiro que decorem o kamasutra e pratiquem com o primeiro cara com tesão que aparecer na sua frente (até porque sexo bom é sexo com o cara que você ta a fim e sexo bem feito, sem muita acrobacia). Estou sugerindo que o sexo seja desmistificado.
Que é um momento especial, que o sexo casual é algo para quem tem o dom de fazer, todo mundo sabe...Aliás, cada um sabe da sua vida e não estou aqui para opinar sobre isso.
Mas falar do assunto com mais leveza é bom. Vejo amigas que fazem até o que o diabo duvida entre 4 paredes mas tem vergonha de pronuncia a palavra sexo.
Eu gosto sim e aposto que você também. Invejo os caras que curtem o momento sem ficar sonhando com a parte clichê. Amei o filme Sexo sem Compromisso e, falando de filmes, assim como sugere o Entre Lençois, não tem lugar melhor pra conhecer uma pessoa do que na cama, mas de nada adianta lingeries sexies se você não consegue tratar o assunto com tranquilidade.
Sexo é intimidade e nada melhor que saber o que se passa na cabeça do moço para criar com ele aquela empatia que fará tudo ser bem mais gostoso.
De qualquer jeito, apesar de somente emitir essa minha opinião para quem permite (porque sim, tem as que se eu falar sobre esse fato vão me crucificar e pensar que sou a Carol Surfistinha), essas conversas que ando provocando me deixam alerta , que raio de imagem eu ando passando heim?! PQP, só tirando a burca do armario!

8 comentários:

Bruxa do 203 disse...

Hahaha Ri muito com o "Carol Surfistinha". É verdade, o assunto é algo normal, que faz parte da vida. Mas seja sobre sexo ou qualquer coisa, detesto que puxem assunto comigo. Na porta do meu antigo prédio tinha um ponto de táxi, mas eu ia em um mais longe, só para fugir daqueles motoristas tagarelas.

Micha Descontrolada disse...

hahaha q doideira...
se um taxista viesse falar de sexo comigo, no minimo, eu ia ficar com medo...se´rio mesmo...estranho falando de sexo comigo me deixa bolada..não me sinto nem um pouco a vontade...confesso.

Aproveito para desejar uma ótima Páscoa para todos e relembrando que Páscoa é muito mais que coelhinho, ovos e chocolate...
Páscoa é vida, é renascimento, é esperança.
Páscoa é tempo de buscar, de meditar, de agradecer, de plantar a paz.
Tempo de recomeçar!!!

Uma Feliz Páscoa para você.


/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_................

* Érica Cristina * disse...

rs nossa seu post é bastante interessante. impressiona pq poucas pessoas se sentem a vontade de falar sobre o assunto.
eu noa entendo... ue se faz, porque noa falar? noa é normal?
tenho amigas com quem troco experiencias, dicas e afins, acho completamente normal quando uma de nos chega e fala... o motel tal é otimo, aah mas o outro é horrivel e isos eh um gancho pra conversa fluir :)

Cih_colorex disse...

Eu devo estar com cara de casamento porque todo mundo vem falar sobre isso comigo.
Mas sobre sexo, talvez as pessoas sintam apenas a confiança de que você as ouvirá que não sairá propagando as histórias de forma vurgar por aí.
Pelo menos foi o que eu senti ao ler esse post. Sexo como qualquer assunto bacana!
Eu não tenho problemas com isso também, na verdade acho tudo muito natural. Quando o assunto surge, eu falo mas prefiro falar disso com meus amigos.
Toparia falar disso contigo! hahaha
Kiss

Amanda Carvalho disse...

Oi Carol, tudo bem?? Nossa que saudade de vir aqui no seu blog, mas agora estou de volta, e o primeiro post que vejo é desse assunto tao gostoso e intrigante de se falar: Sexo! Olha tenho que admitir que amei a sua descricao e concordo com suas observacoes, como por exemplo a de conhecemos mesmo as pessoas na cama, é como se a partir daquele momento se estabelece-se um elo que faz com que a relacao fique consideravelmente melhor, com a excessao do sexo casual que nao passa de vontade mutua e um dom haha "Talvez a gente não precisasse ficar lendo Nova pra saber o que se passa na cabeça deles, e nem perdendo uma parte do tempo especulando com as amigas sobre o que eles vão fazer, e bla bla bla..." ri muito com este trecho :p
Beijos Carol, boa semana p vc!

Lucimere disse...

Venci o texto maratona (rs). Achei engraçado que vc fala sobre sexo com um "aquilo" (kkk) estava achando contraditório, mas depois vc começou a escrever "sexo", então, percebi que era um pouco receio de julgamentos...
Carol, tenho vários, amigos com os quais falo sobre sexo e esse tema nunca foi problema... percebo que "eles" gostam de ouvir o que temos a dizer.
bjosss

Lulu on the Sky® disse...

As pessoas tem tanto tabu em falar sexo, não sei pq. Acredito que os amigos, o taxistas ficaram a vontade com vc por isso que contaram abertamente sobre a vida sexual.
Big Beijos

Alice Voll disse...

Ai amiga, tô rindo dmais de vocÊ!
"eu inspiro sexo!" cada um inspira o que tem de melhor eu pergunto? pq só atraio gente doida, porém feliz! sajnsijansiasa
eu tb converso numa boa sobre sexo, aliás, só converso mesmo, pq fazer que é bom, ta dificiiiiiiiiiiiiiiiiiil! saijnsiajnsiasa