domingo, 8 de maio de 2011

E no dia das mães....

Eu quero ter um filho.
Um menino.
E ele terá nome de santo, quero o nome mais bonito*.
Quero um garoto, e não vou aqui cair na ladainha de que se tiver saude é o que importa.  Quero um menino, então, universo, ouça bem o que eu digo.
Mas quando falo que quero ter um filho, não estou sendo impulsionada pelo desejo quase hormonal que atinge as mulheres. Não estou pensando na maternidade em sí, em deixar meu codigo genetico para a posteridade. Nem me passa pela cabeça as noites em claro que passarei enquanto ele sente colica, nem tampouco penso nos quilos a mais que virão e no efeito daquele serzinho crescendo no meu ventre. Não to pensando na idade que chega diminuindo a quantidade de ovulos. Longe de mim a ideia de ter por ter, parir por parir, "cumprir" minha missao feminina. Não.
Quando digo que quero ter um filho (e como quero tê-lo) está envolvido ai a idéia de ter um marido descente que seja um homem capaz de ensinar pro meu bebe tudo aquilo que eu não saberei ensinar, que o leve no futebol e conte sobre a Copa de 70, que ensine ele a paquerar e a como tratar uma mulher, ao lado de quem experimente a primeira cerveja, o cara que vai ensinar ele a dirigir e ensinar a ele a diferença entre  carburador e injeção eletrônica. O melhor amigo, o confidente. Um homem que seja bom amante e bom pai, e isso não é nada demais, não é impossivel.
Eu posso ter um filho sozinha, mas não quero. Quero um moço legal, um cara divertido, bem resolvido, amigo, bom de cama, que goste de viajar e ver filmes, que seja apaixonado pelo trabalho e por mim, que seja parceiro e que, claro, goste de crianças e animais. Um cara assim, com um curriculo adequado para ser, mais que meu amor, o pai de um garoto legal e descolado, falante, inteligente e puxador de conversa.
Quando falo que quero ter um filho, quero dizer que quero um emprego não um trabalho (pois trabalho eu já tenho demais), quero um emprego que me dê a tranquilidade de cumprir uma jornada e voltar pra casa para ser enlaçada pelos bracinhos pequenos do meu pequixito num abraço indescritivel. Um emprego que me propicie condições financeiras para leva-lo a todas as preestreias da Pixar, ao festival de teatro infantil, que me permita leva-lo para conhecer lugares mágicos, coloca-lo em uma boa escola, garantir tratamento médico, comprar todos os livros e gibis que ele desejar (menos os de conteúdo duvidoso).
Quero ter um filho, um garoto e junto com isso quero ter equilibrio. Quero ter paciencia. Quero poder nunca mais sucumbir a ansiedade. Quero poder respirar com fé de que amanhã é um novo dia e que um mar de oportunidades novas virão ao meu encontro. Não quero mais ir pra cama frustrada, com pressa de que a vida dê certo. Quero ser paz.
Quero ter um garoto...Um menino. Quero ter dois homens da minha vida, um me ajudando a formar o outro.
Quero sentir aquele beijinho estalado e espremido nas minha bochechas, quero ter bracinhos envolvendo meu pescoço, perninhas gorduxas enlaçando minha cintura. Quero cheirinho de talco pela casa, fraldas na gaveta, um brinquedinho perdido ali no meio da sala. Pecinhas de lego, soldadinhos, um quarto decorado de formula1. Quero um serzinho de 1m enfiado num quimono, puxando uma mochila do ToyStory, indo pra escola. Quero um sorriso desdentado, um adormecer nos meus braços, um pezinho que cabe na palma da minha mão.
Quero esquecer o tic-tac do relogio dos hormonios, quero apenas ter meu menino, na melhor hora da vida, no momento que o universo conspirar, quando todo o conjunto da realidade for propicio. E, como nos contos de fadas, ser feliz para sempre.


*Frase da musica Pais e Filhos - Legião Urbana
Image: Google

4 comentários:

Karine disse...

O universo conspirará e você será a mineira mais feliz de todas! Porque no Rio,serei eu! :)))
Um beijo carinhoso e feliz dia das mäes!

Lucimere disse...

Carol, seu texto é lindo, fiquei encanta, mas não pude deixar de pensar, que essa perfeição toda pode não acontecer ou pode acontecer e vc não perceber por achar que ainda vai existir um cara e um momento melhor. Não se cobra muito, não exige muito... sei que decepções passadas travam, mas viver errando é melhor do que não viver por medo de errar. Mas sei tb que sabe disso tudo.
bjoss

Lulu on the Sky® disse...

Tenho certeza que terá seu menino. Tb sonho muito em ser mãe, mas eu entendo todas as expectativas de encontrar um cara bacana para dividir a vida.
Big Beijos

subindonosalto.com disse...

Carol, que LINDO tudo isso que você escreveu! Eu sou louca para ser mãe. Não agora, mas quero muito ter filhos ... um casal, de preferência! *-*

;*

@viihrs
@SubindoNoSalto
subindonosalto.com